Ricardo Libório recebe a faixa-coral de Jiu-Jitsu no Brasil

Campeão Mundial, veterano do ADCC e treinador de MMA, Libório celebrou 31 anos como faixa-preta e recebeu o sétimo grau.

Em meados de 1993, após brilhar como faixa-marrom no Brasileiro de Jiu-Jitsu, Ricardo Libório encontrou o grande mestre Carlson Gracie na lanchonete Quebra Nozes, no andar de baixo da famosa academia de Carlson em Copacabana. Em meio a risadas e com os dentes pintados por um bom açaí, enquanto conversava com o amigo Aru, Carlson vira para Libório e diz: “Amanhã pode vir treinar de faixa-preta”. Sem festa ou pompa, Libório foi graduado. Contudo, 31 anos depois, no último domingo, dia 17 de março, o cenário foi completamente diferente.

Reunindo um verdadeiro panteão de grandes mestres com suas faixas-vermelhas, como Reyson Gracie, Fernando Pinduka, Carlos Rosado, os irmãos João Alberto e Álvaro Barreto, e Arthur Virgílio; além de outros faixas vermelha-e-branca e mestres da faixa-coral, Ricardo Libório iria receber sua faixa vermelha e preta. O salão nobre da AABB, no bairro da Lagoa, estava apinhado com nomes conhecidos do mundo do Jiu-Jitsu. Os que lá não puderam estar mandaram seu abraço em forma de vídeo, como Marcelinho Garcia, outra unanimidade do Jiu-Jitsu assim como Libório.

Antes de receber a nova graduação após mais de três décadas, Libório fez questão de pedir a graduação à faixa-coral de outros dois professores mais antigos que ele, que ainda não tinham recebido a honraria: Luiz Roberto “Bebeo” Duarte e Marcel Duque Estrada.

Após receber a faixa-coral, amarrada em sua cintura por Pinduka e Rosado, os mais antigos da academia Carlson Gracie, Libório dividiu algumas palavras sobre a importância de se tornar um mestre de Jiu-Jitsu, após anos como professor.

“Ser mestre é aprender a apanhar. É um círculo que se conclui. Não tenho mais como ganhar, a idade chega. Não importa o quão bom você é. O passo depois de ser mestre é buscar a saúde física, mental e espiritual. Arrumar um motivo que te leve de volta aos tatames todos os dias. Para mim, a felicidade é estar ali para ajudar. Passar conceitos, experiência, valores. Isso faz parte da minha filosofia. Deixei um cargo importante no Banco do Brasil anos atrás para viver o Jiu-Jitsu. Eu amo o Jiu-Jitsu e me sinto o cara mais feliz do mundo.”

Depois de passar anos como professor de Jiu-Jitsu, fundar a Brazilian Top Team e liderar a American Top Team, com passagens também pela Arábia Saudita, hoje o mestre se dedica a lecionar nos EUA. Uma legião de seus alunos americanos estiveram nos tatames montados na AABB, lugar onde Libório, aos quatro anos de idade, deu seus primeiros passos como lutador ao vestir seu kimono para treinar judô. Como disse o mestre, é um círculo que se conclui. Parabéns, Ricardo Libório.

Ex-cabeça branca do PSDB comparece a ato de Bolsonaro na Paulista

Arthur Virgílio, que foi um dos “cabeças brancas” do PSDB antes de deixar o partido, está em ato em apoio a Jair Bolsonaro em São Paulo

Ex-integrante do grupo dos “cabeças brancas” do PSDB, o ex-senador amazonense Artur Virgílio Neto compareceu ao ato em desagravo ao ex-presidente Jair Bolsonaro neste domingo (25/2) na Avenida Paulista, em São Paulo.

Vestido de camisa verde e amarela, Virgílio foi alocado em um dos trios elétricos levados pela organização. Desfiliado do PSDB desde novembro, o ex-senador também circulou entre apoiadores de Bolsonaro, tirando fotos.

“Nesse clima de polarização, não dá para ficar ao lado de um governo cheio de ministros acusados de corrupção e de um presidente que fala bobagem sobre o Holocausto. A manifestação vai além da defesa de Bolsonaro. É um evento em prol do Estado democrático e das instituições”, escreveu Artur Virgílio, que também é ex-prefeito de Manaus.

Arthur Virgílio adere ‘Ato Pela Democracia’ e confirma presença na Avenida Paulista

Arthur Neto

Senador apoia o ex-presidente Bolsonaro em realizar ajuntamento pacífico para se defender de arbitrariedades.

Três vezes prefeito de Manaus, ex-ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República durante o governo de Fernando Henrique Cardoso (FHC) e deputado federal por dois mandatos, o senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) é mais uma autoridade a aderir o ‘Ato Pela Democracia’.

Como temos mostrado, a manifestação convocada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) deve contar com lideranças políticas de diversos estados, incluindo governadores de espectros políticos de centro e de direita.

A Avenida Paulista, que tornou-se um tradicional reduto político, é o local escolhido para a mobilização verde e amarela. A ação popular está prevista para o próximo domingo (25), às 15h.

Ao Conexão Política, Virgílio confirmou apoio ao evento. “Estarei apoiando o evento, mas não como orador. Pretendo ir à Paulista prestar meu apoio”, declarou o amazonense.

Ex-senador, deputado e prefeito de Manaus, faixa-vermelha Arthur Virgílio Neto relembra sua históiria no jiu-jístsu

O convidado do RESENHA PVT desta quinta-feira foi o ex-prefeito de Manaus, ex-senador da República e faixa-vermelha de João Alberto Barreto, Arthur Virgílio Neto. Discípulo da primeira geração de faixas-pretas formada por Carlson Gracie, mestre Arthur lembrou os primórdios do jiu-jítsu, as últimas lutas de Carlson, sua amizade com Rolls Gracie e a importância da arte marcial em sua formação política.

O novo título de Arthur Virgílio

Aprovadas as candidaturas tucanas ao Senado
Tribunal Superior confirma recorde de candidaturas indígenas no país
O jeito Tadeu de Souza na campanha de Wilson Lima
Academia Jurídica do Amazonas presta homenagem a ex-vice-governador
Estão abertas as inscrições em Artes
Ufam prepara Seminário Internacional sobre Amazônia
Ministério Público abre debate sobre instituições que acolhem crianças e adolescentes
Vacinação contra a Covid-19 terá 87 pontos nesta semana
Fumaça e calor tomam conta do sul do Amazonas

Por Claudio Barboza e Solange Elias, com editorias do Único

O recado de Arthur Virgílio
Arthur Virgílio recebeu neste final de semana o título de Cidadão Honorário do Município de Presidente Figueiredo. Durante a entrega, que aconteceu na Câmara Municipal, ele garantiu que o Amazonas caminha com sabedoria para ter uma presença intransigente na defesa dos seus interesses no Senado. Arthur é candidato ao Senado pela federação PSDB-Cidadania.

Tucanos aprovados
Arthur e sua chapa para o Senado – que inclui os dois suplentes – foram aprovados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), também no final de semana. A chapa teve que trocar o segundo suplente, mas já está tudo normalizado. Arthur busca a vaga no Senado tendo como primeira suplente a reitora da Fametro, Maria do Carmo Seffair, e o segundo suplente, o médico Paulo Cézar Mates, de Apuí.

Candidaturas indígenas
Também já estão aprovadas pela Justiça Eleitoral, 182 candidaturas indígenas, em todo o país, representando pelo menos 31 etnias. O DivulgaCand do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) registra o marco histórico em sua página. Segundo o Censo de 2010, último realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem 897 mil indígenas, pertencentes a 305 povos e 274 línguas diferentes, o equivalente a 0,5% da população brasileira.

A presença de Tadeu na campanha de Wilson Lima
Técnico e com um perfil conciliador, o candidato a vice de Wilson Lima, o procurador Tadeu Souza (Avante), tem acrescentado outras vertentes à campanha de rua. Uma disposição de atleta nas caminhadas e muito atento às conversas com eleitores, mostra uma desenvoltura comemorada pelo comando de campanha. “Vim pra somar e ajudar o governador Wilson Lima a fazer o melhor governo da história do Amazonas”, afirma.

Homenagem a Hanan
A Academia de Ciências e Letras Jurídicas do Amazonas, vai entregar o título de Sócio Honorário ao ex-vice-governador do Amazonas, Samuel Hanan, na próxima quinta-feira (15) às 17h, no gabinete do presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas, Flávio Pascarelli.

Artes circenses
A partir de hoje (12) até a próxima quinta-feira (15) estão abertas as inscrições para o Curso de Formação em Artes Circenses. Local: Sambódromo, bloco F, das 8h às 13h e das 13h às 17h.

Seminário Internacional na Ufam
Alunos e professores da pós-graduação da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) iniciam nesta semana ampla mobilização em favor da realização do Seminário Internacional em Sociedade e Cultura na Amazônia, sediado no Instituto de Filosofia, Ciências Humanas e Sociais (IFCHS), sob a direção da professora Iraildes Caldas, programado para começar no dia 22 de novembro, com término no dia 25 do mês em curso.

Debate sobre a infância
Na próxima quinta-feir (15), o Ministério Público do Amazonas (MPAM) vai sediar o 1º Encontro da Comissão da Infância, Juventude e Educação do Conselho Nacional do Ministério Público (CIJE/CNMP). Serão ministradas duas palestras sobre o tema, com o objetivo de aprimorar o modelo de fiscalização das entidades responsáveis pelo acolhimento de crianças e adolescentes. O evento ocorrerá de 8h30 às 12h, no auditório do MPAM.

Vacinação hoje
A Prefeitura de Manaus vai abrir 87 pontos de imunização contra a Covid-19, no período de segunda a sexta-feira (12 a 16). A vacina pode ser recebida por crianças, adolescentes, adultos e pessoas idosas. As unidades terão horários de funcionamento diferenciados, portanto, vale uma olhada no site da Semsa antes de sair de casa para a imunização: bit.ly/localvacinacovid19.

Fumaça e calor
É preocupante, a situação dos municípios do sul do Amazonas que, mais uma vez, estão cobertos pela fumaça das queimadas. Moradores de Borba relataram ao ÚNICO que não estão conseguindo respirar, em função do fumaceiro que paira sobre a cidade. Em Lábrea e Manicoré, região onde os focos de incêndio estão mais intensos, a situação se repete. Estes dois municípios têm como agravante o calor extremo que está sendo registrado no Amazonas, neste verão. As temperaturas estão superando os 36 graus, com sensação térmica de 40º. Pode-se acrescentar na lista também Eirunepé, Humaitá, Tefé e Manaus.

Sou Arthur, com a mesma força que sempre entreguei a favor do Amazonas

Porque alguns nasceram para cruzar os braços. Eu, nasci para lutar. E vou lutar até o último dia da minha vida”, diz Arthur Virgílio Neto

Na última quinta-feira, 24, vivi um dos momentos mais icônicos de minha existência. Às vésperas de completar 44 anos de vida pública, me apresentei a continuar a luta pelo meu Amazonas, como pré-candidato ao Senado, lugar que já ocupei com muita honra, dedicação, amor e pelo qual obtive o reconhecimento incontestável dos amazônidas e dos brasileiros.

Foi uma festa bonita, cercado de familiares e amigos da capital, do interior e do Brasil. Tive a honra de receber o ex-ministro Antônio José Imbassahy, um irmão e que também veio representar outro amigo querido, o governador de São Paulo e pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB, João Doria.

Recebi o carinho e o incentivo de muitos líderes políticos, mas também de pessoas das comunidades que estiveram ali para demonstrar sua confiança no resgate da força que o Amazonas tanto necessita, nesse momento tão difícil, onde sofremos mais e mais ataques à Zona Franca; assistimos a destruição da floresta amazônica e, com ela, o desperdício de nossas potencialidades, nossas oportunidades de sairmos da miséria e nos tornarmos um Estado próspero.

Meu Amazonas, querido, lindo de se ver e de viver, precisa resgatar sua grandeza e é com esse sentimento que me apresentei como pré-candidato. Porque alguns nasceram para cruzar os braços. Eu, nasci para lutar. E vou lutar até o último dia da minha vida. Sou pré-candidato ao Senado porque tenho ao meu lado o maior partido político de todos – e não estou falando do PSDB – falo da aliança com o povo do Amazonas.

Arthur Virgílio: Desafio de Alckmin é levar Lula ao interior e articular com o centro

Fundador do PSDB, ministro da Secretaria-Geral da Presidência no governo FHC e líder da oposição no Senado ao governo Lula, Arthur Virgílio Neto afirmou, em contato com CartaCapital, que o desafio de Geraldo Alckmin como vice do petista será quebrar resistências no interior, especialmente em São Paulo.

O ex-prefeito de Manaus avalia que o discurso de Alckmin na filiação ao PSB, na última quarta-feira 23, não empolga nem comove, mas, dadas as características de seu ex-correligionário, não há surpresa.

“O Lula espera que ele [Alckmin] seja um bom articulador em um campo mais ao centro, que ele tenha um desempenho em São Paulo que não sei se terá. O Lula é muito bem votado no Brasil inteiro, mas a tradição dele não é de grandes vitórias em São Paulo”, pondera Virgílio. “Então, o Geraldo seria o homem para levar a coisa mais para o interior, não se esquecendo de que o Lula tem uma grande pessoa na capital, que é o Fernando Haddad, uma pessoa que vem de um recall bom de presidente, teve uma votação muito boa [em 2018].”

Para o tucano, ainda há tempo para despontar uma terceira via, mas a tendência é de manutenção da polarização entre Lula e Jair Bolsonaro. E o petista deve “se preparar para uma luta dura”.

“Bolsonaro usará todas as armas e mais algumas para ir ao segundo turno e enfrentar Lula. Lula precisará ter – e aí ele conta com o Geraldo – pessoas que julguem o governo Bolsonaro não bom para o País e, na opção do segundo turno, votem nele.”